quarta-feira, 4 de janeiro de 2017

O sumiço do homem do vidro ondulado

O sumiço do homem do vidro ondulado

O homem engraçado
Da minha porta de vidro ondulado
Sumiu desde
Quando descobriu
Que eu com mimha pena
Lhe escrevi um poema.
Ele que aparecia quando a luz apagava
Nunca mais deu o ar da graça
Com luz acesa ou apagada.
Não mudei nada
Nem na luz nem na porta
Nem no mínimo
Será que era meu amigo tímido?
Se você o vir diga
Pra deixar de ser bicho do mato
E voltar pro meu vidro ondulado.