quarta-feira, 4 de janeiro de 2017

O homem da minha porta de vidro ondulado

O homem da minha porta
De vidro ondulado
Aparece sempre que a luz apaga
Ele está sempre do mesmo lado
O que me induz a pensar nele como visage
Nao se mexe não reage
Ás vezes me assusto com ele
Ás vezes sinto falta dele
Quando acendo a luz ele se vai
Se a luz apaga do outro lado não sai
Ele é um tipo engraçado
Meio sem forma,  embassado
Igualzinho a meu vidro ondulado
Se a luz muda de cor
Ele também
Vai ver não é ninguém
É só minha retina
Criando o que não tem
De qualquer forma:
Muito prazer se é de bem
E acho que ele é de bem
Pois ali parado nao faz mal
A ninguém. Só é  engraçado
Aquele homem ondulado
Ainda bem que aquele homem
Ou talvez mulher
Seja um ser de bem.
Ainda bem.