quarta-feira, 4 de janeiro de 2017

Eu cum a dor

Primeiro eu senti uma dor
Então ele se animou
E latejou
E me inquietou
A dor inchou
O lugar da dor pulsou
E a dor estourou
A dor sumiu e voltou
De manhã a dor se aquietou
Mas de noite a dor voltou
Abri o braço e a dor passou
Não sei como ela se arranjou sem mim
Fechei o braço e ela entendeu que era pra voltar
Eu deitei com a dor
(Safada)
Eu andei com a dor
(Ela não perdia o passo)
Eu falei com a dor
Mas ela não me deixou
A dor me amolou
A dor me amou
Cretina!
A dor se encheu de pus
(Imunda!Nojenta!Fedorenta! )
A dor me pintou de vermelho
Gaiata!Sem graça! Desgraçada!
A dor endoidou
A dor era um tumor
A dor me tomou
A dor me quebrou
A dor me enraivou
A dor desafiou o doutor
A dor me amolou
A dor me sacaneou
Vá embora dor!
(Gritei de dor)
Foi mesmo que nada
A dor se fez de tapada
A dor queria ser minha mulher
Mas como fazer amor
Com dor? Presta não.
A dor quis ser minha parceira
Se cachaça resolvesse
Tinha caído na bebedeira
Ora bolas! Parceira?!
Vai se Deus quiser
Chegar a hora
Que a dor vai embora
Deus permita que seja agora
Dor Cretina só não digo palavrão
Porque sou um moço de boa educação
Vá se danar!
Vá pastar!
Eu te peço  com amor
Dona dor.

Deixe de ser besta
Vá amolar o capeta!
Ele que merece
Aquela peste
Voces dois se merecem .

Desculpe, perdi a paciência
Eu refaço o pedido:
Dona dor, por favor
Me deixe. Me trate com amor.

A dor gargalhou :
Ahahahahahahaha!
E comigo se deitou.

Vou parar por aqui.
Tem jeito não .
Nao dá pra conversar com dor.