domingo, 8 de janeiro de 2017

Carne na carne

Encostei meu braço no teu
E senti o frio de tua carne macia
Em meu braço quente
Foi num esbarrão casual
Mas que me atiçou a mente

Então quando você estava de pé
Numa cadeira limpando a geladeira
Beijei de propósito tua coxa
E ali era quente
Que atiçou minha mente

Minha mente pia como
De um ser sem maldade

Só besta acredita nesse ser pio
Sem maldade.