quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

MINHA CONVERSA COM A PEDRA

Ontem sentei para conversar com uma pedra. Ela me falou de muitas coisas.
Eu achava que pedra não tinha sentimento. Eu estava enganado.
A pedra me disse que tem um caminho e que quem acha o caminho das pedras é porque ficou mais sábio. A pedra me disse que tem medo de água. Água é teimosa. Embora a pedra seja dura a água bate até que fura. A pedra me disse que ficou toda orgulhosa de ter sido a personagem principal do poema do poeta: No meio do caminho tinha uma pedra. Tinha uma pedra no meio do caminho. Tinha uma pedra. No meio do caminho tinha uma pedra. Nunca me esquecerei desse acontecimento... Pedra no sapato é ruim, mas a pedra disse que cada um tem mesmo uma pedra no sapato, mas ela sente muito por isso. A pedra me disse que quem tem pecado não atira a primeira pedra. A pedra que é sempre calada em seu canto tirou o dia para conversar comigo. Quem atira pedra é loco, disse a pedra. Quem quebra pedra é porque não estudou. Quem quebra pedra enquanto descansa é escravo ou trabalhador mal pago. Quem é vidraça não atira pedra. Pedra é diferente da gente, mas ela tira sempre algum tempo para conversar com a gente. A vantagem de conversar com a pedra é que ela não tem pressa de ir-se embora.